sexta-feira, 3 de abril de 2020

O ATOR JORGE COUTINHO PEDE QUE PERSONALIDADES NEGRAS SE LEVANTEM DO SOFÁ PARA O COMBATE DO CORONAVÍRUS NAS COMUNIDADES QUILOMBOLAS!

Zeca Pagodinho poderá convocar artistas para o combate do Coronavírus



Por: Walter Brito

O mundo se transformou num verdadeiro campo de guerra e ainda não encontrou a arma para combater o coronavírus, que já matou sem piedade 60 mil almas.
Enquanto cientistas e médicos especialistas lutam para descobrir o antídoto para eliminar o mal que assusta o mundo, governantes se dividem entre salvar a economia e aumentar o número de vítimas com morte, ou priorizar o ser humano por meio do isolamento social.

Embora com algumas divergências, Bolsonaro e Mandetta continuam juntos e na liderança nacional do combate ao Coronavírus
Foto: Reprodução/Web

Jair Bolsonaro é favorável a que alguns setores estratégicos da população, especialmente os mais jovens que estão fora do grupo de risco, voltem ao batente, para que o caos social não se torne tão letal e perigoso quanto o mal que promete ser devastador e impiedoso, talvez como nenhum outro que os humanos conheceram.
Por outro lado, os governadores, em sua maioria, enfrentam o governo federal e exigem quarentena absoluta e o povo fora das ruas. Assim tem sido, mas segundo mostram claramente  estatísticas científicas, um quadro tenebroso e as comunidades brasileiras começam a sofrer uma derrocada, pois a falta de estrutura onde reside a maioria da população negra, em especial a comunidade quilombola, que sempre foi vítima da falta de assistência, agora corre o risco de ser eliminada das estatísticas da população brasileira, pois são as mais vulneráveis.

Jorge Coutinho e Walter Brito na proteção da negritude nacional

Antenado com a militância cultural e de resistência há 62 anos, o ator Jorge Coutinho, 85 anos de idade, presidente do Sindicato dos Artistas do Rio de Janeiro e pré-candidato a prefeito do Rio, disse o seguinte: "Neste momento de comoção mundial, eu gostaria de convidar aqueles que estão no sofá, e outras personalidades afrodescendentes que já estão na labuta de alguma forma com o sofrimento dos mais necessitados das favelas, morros e comunidades quilombolas, para que façamos juntos apelos públicos mostrando aos nossos governantes que o povo negro, que derramou o seu sangue para construir esta nação de dimensões continentais, precisa ser olhada com carinho neste momento de pandemia. Eu concordo plenamente com o jornalista Walter Brito, quando chama a atenção do ministro da saúde, doutor Luiz Henrique Mandeta, para que seja construído um hospital de campanha no bairro Liberdade, em Salvador, com cerca de 80 mil habitantes, onde 95% é formada pela comunidade negra e tem como referência o Grupo Cultural Ilê Aiyê,  presidido por Antonio Carlos dos Santos, o popular Vovô. Da mesma forma, na Rocinha, no Rio de Janeiro, que já ultrapassou os 100 mil habitantes. Outra localidade citada pelo jornalista Walter Brito, residente no Rio de Janeiro, foi a Comunidade Kalunga, em Goiás, que tem como líder a dona Procópia. Trata-se de uma Comunidade Negra Tradicional, reconhecida pela Fundação Palmares como Quilombola, que precisa também de cuidados especiais como outras importantes comunidades negras e pobres de todo o Brasil, necessitando do olhar atento do ministro Mandeta e do presidente Jair Bolsonaro", concluiu Jorge Coutinho.
Zeca Pagodinho é novamente uma das esperanças do povo pobre do Brasil
Foto: Reprodução/Web

Sugerimos que Zeca Pagodinho, cantor de renome internacional, lidere artistas para a gravação de um clipe, mostrando aos nossos governantes a realidade do povo negro em tempo de coronavírus. Zeca Pagodinho é acostumado a proteger os necessitados, como fez em 2013 em uma enxurrada de grandes dimensões que atingiu Xerém, localidade onde nasceu e costuma reunir amigos para rodadas de samba. Por essa e outras muitas atitudes sociais, o grande sambista tem poder para tirar os colegas do conforto de seus sofás e se dirigirem ao estúdio de gravação para esta importante jornada na proteção do povo brasileiro, inclusive os quilombolas de todos os recantos nacionais. Que Deus Salve o Brasil!

Um comentário:

  1. Sem dúvida, as várias Comunidades Quilombolas, assim como as populações indígenas necessitam de nosso apoio. Necessitamos que o Governo Federal, governos estaduais e municipais incluam no pacote econômico, voltado para o combate à pandemia do CORONA VÍRUS 19 - COVID - 19. Nossa responsabilidade - nesse momento - é de todos para com todos mas, sem dúvida, a população afro-brasileira está em sua maioria em áreas extremamente abandonadas pelo poder público, para cujo orçamento TODOS nós contribuímos. É uma oportunidade preciosa pra os GOVERNOS investirem em saneamento básico, saúde, em educação e em lazer, para sair dessa dramática situação com mais dignidade.

    ResponderExcluir