sexta-feira, 5 de outubro de 2018

LEILA DO VÔLEI, CRISTOVAM E IZALCI, NA FRENTE PARA O SENADO. ELIANA PEDROSA E ROLLEMBERG BUSCAM OS INDECISOS PARA A DISPUTA COM IBANEIS NO SEGUNDO TURNO!

Leila do Vôlei - 32% Cristovam Buarque -24% Izalci Lucas - 18%

Por Walter Brito

Brasília é palco da eleição mais disputada no país. O protagonismo da mulher é de fato a marca mais forte desta eleição na capital de todos os brasileiros. Prova disto é a liderança inconteste para o Senado de Leila do Vôlei (PSB), com 32% na pesquisa  do Instituto Phoenix, registrada no TRE- DF, com o número 00147/2018. O instituto ouviu 1200 eleitores em todas as regiões de Brasília, entre os dias 29 de setembro e 1 de outubro. Publicamos abaixo desta matéria  pesquisa para governador de Brasília, senador, deputado federal e deputado distrital. Cristovam Buarque (PPS) é o segundo colocado para o Senado com 24%, enquanto que Izalci Lucas (PSDB) pontua com 18% de intenção de votos dos brasilienses.

Ibaneis Rocha poderá disputar o segundo turno com Eliana Pedrosa ou Rodrigo Rollemberg
A marca forte desta eleição é, sem dúvidas, apontada na pesquisa sobre o empoderamento da mulher, realizada pelo Instituto Phoenix, em que a mulher votará na mulher de forma acentuada e nunca ocorrida no Distrito Federal. Fica claro por meio da boa performance de Eliana Pedrosa (PROS), que embora tenha perdido valiosos pontos na pesquisa, devido aos percalços ocorridos na reta final de sua campanha, ainda assim continua de pé  e com possibilidades reais de ir para o segundo turno com o líder nas pesquisas Ibaneis Rocha. Eliana pontuou com 15% de intenção de votos na pesquisa realizada pelo Instituto Phoenix, enquanto que o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) pontua com o mesmo percentual, ou seja, 15%. Já Ibaneis Rocha tem posição garantida no segundo turno e obteve 27%.

Dr. Felix Angelo Palazzo, aposta na vitória de Ibaneis Rocha


Ibaneis representa o novo na disputa em curso e poderá surpreender no domingo 7 de outubro. Neste sentido, a reportagem entrevistou o advogado e conselheiro da OAB nacional, o dr. Felix Angelo Palazzo. O conselheiro participava, na oportunidade, de uma reunião de mobilização de advogados, que estão se integrando ao projeto de Ibaneis na reta final. Vale lembrar que o dr. Felix Palazzo foi peça-chave no primeiro encontro político de Ibaneis rumo ao Buriti, ocorrido no dia 9 de outubro de 2017, no restaurante Piantella. O referido encontro se deu entre o então pré-candidato e George Michel, presidente do PDT no DF. Michel estudava a possibilidade de Ibaneis ser o candidato ao GDF pelo partido do saudoso Leonel Brizola.
 Questionado pela reportagem referente aos novos caminhos do projeto iniciado por ele, o advogado respondeu: "Naquela histórica reunião com o nosso amigo Michel, o doutor Ibaneis sequer tinha a legenda para a disputa.  Hoje seu projeto é uma realidade de parte significativa do eleitorado brasiliense. Neste sentido,  Ibaneis lidera as pesquisas, pois o eleitorado está conhecendo suas propostas por meio dos debates, a conversa dele com a sociedade em todos os cantos de Brasília, por meio das caminhadas, reuniões e da mídia. Nós advogados estamos juntos com os que acreditam no plano de governo consistente conduzido por Ibaneis, que vai mudar Brasília para melhor. Sabemos que ele tem capacidade e tem vontade de fazê-lo. Não importa se a vitória ocorra no primeiro ou segundo turno. Entretanto, a campanha está crescendo de forma tão forte na reta final que acreditamos na possibilidade de o ex-presidente da OAB/DF vencer ainda no primeiro turno. Aproveito a reportagem para conclamar nossos colegas advogados para uma grande união em torno do 15, Ibaneis governador", concluiu Palazzo. Ressaltamos que o Instituto IBOPE publicou que Ibaneis tem 34% e Eliana 17%. Já o Datafolha publicou 35% para Ibaneis e 16% para Eliana Pedrosa.

CÂMARA FEDERAL

Erika Kokay, Flávia Arruda e Celina Leão, são as primeiras para Câmara Federal

Voltando ao discurso de que a mulher é a bola da vez nesta eleição do DF, cinco mulheres lutam com possibilidades de se tornarem deputadas federais. São elas: Erika Kokay (PT), inclusive lidera a pesquisa com 9% de intenção de votos na pergunta estimulada. Flávia Arruda que é a segunda, com 7%, e a terceira colocada, Celina Leão (PP), com 6,50%. Lembramos ainda, que Paula Belmonte e Maria Abadia estão no páreo. O quarto colocado na pesquisa Phoenix é Júlio César (PRB), com 5%, e em seguida Joaquim Roriz Neto, com 4%. O sexto colocado é o atual senador Hélio José (PROS), que disputa vaga para deputado federal e pontua com 3,50%. O sétimo lugar foi ocupado na pesquisa por Paulo Fernando (PATRIOTAS), empatado com Juraci Tesoura de Ouro (PTB), ambos com 3%. Em oitavo estão empatados Laerte Bessa (PR) e Paula Belmonte (PPS), com 2,50% cada um. Foram citados de forma espontânea, e também estão no páreo, o professor Israel (PV) e o pastor Manoel Teixeira (PROS). Cada um pontuou com 1,5%.

CÂMARA DISTRITAL

Chico Vigilante, Risomar Carvalho e Agaciel Maia, são os primeiros para a Câmara Legislativa do DF


Da mesma forma que se dá a disputa para a Câmara Federal, pelo menos oito mulheres pontuam de forma forte na pesquisa do Instituto Phoenix e podem chegar ao parlamento distrital. Os primeiros colocados de um modo geral são: Chico Vigilante (PT), cujo percentual é 2,66%. Em segundo lugar, Risomar Carvalho (PSD) com 2,41%. Agaciel Maia (PR) é o terceiro com 2,08%, Guarda Jânio (PROS) pontuou com 1,91%, Rafael Prudente (MDB) com 1,91%. Em seguida o pastor Daniel Castro (PSC), que alcançou 1,75%, Jaqueline Silva (PTB) com 1,66%, Ricardo Vale (PT) que alcançou 1,41%, entre outros. Acreditamos que será uma eleição de dois turnos, quando disputarão Ibaneis Rocha contra Eliana Pedrosa ou Ibaneis contra Rodrigo Rollemberg. Rogério Rosso (PSD) está no aguardo da reação dos eleitores evangélicos e do Entorno de Brasília, para se cacifar como um dos postulantes na disputa contra Ibaneis Rocha no segundo turno. Vale lembrar que nas 36 cidades goianas da Região Metropolitana do DF residem cerca de 200 mil eleitores que votam em Brasília.

No plano nacional, obviamente será também uma eleição de dois turnos disputada por Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). O destino se encarregou de proteger Bolsonaro por meio da máxima: "O mal que veio para o bem". Bolsonaro seria desconstruído pelo centro direita, na semana que foi agredido em Juiz de Fora. Hospitalizado, ele se tornou vítima, o que dificultou sua desconstrução, tal qual ocorreu com Marina Silva (REDE), na eleição de 2014, principalmente.

Por outro lado, as cartas do cárcere, escritas pelo ex-presidente Lula, certamente incentivaram a militância do PT a empurrar Fernando Haddad para o segundo turno. Que vençam os melhores para Brasília, o Brasil e a democracia. Quem viver e votar, verá!

















Nenhum comentário:

Postar um comentário