terça-feira, 23 de outubro de 2018

BRIGADEIRO ÁTILA MAIA APOIA IBANEIS PARA O BURITI!

Ibaneis Rocha recebe o apoio de Átila Maia, que obteve 135.573 votos para o Senado no DF

Por: Walter Brito

Brasília, em seus 32 anos de história na disputa eleitoral, viveu um primeiro turno nunca visto em eleições na capital brasileira, quando onze candidatos, de todas as tendências, colocaram seus nomes para o Buriti, dezessete disputaram o Senado, quase duzentos se inscreveram para a disputa na Câmara Federal e perto de mil candidatos se inscreveram para a Câmara Distrital.

Leila do Vôlei - 467.735 votos.  Izalci Lucas - 403.735 votos

A renovação fez a festa, como foi previsto pelo Instituto Phoenix/Cristal Pesquisas. Desta forma, a mulher foi de fato a protagonista, quando Leila do Vôlei, do PSB, se transformou na senadora mais votada, com 467.787 votos, correspondentes a 17,76%. Izalci Lucas (PSDB) foi o outro senador eleito, com 403.735 votos, correspondentes a 15,33%.

O Instituto Phoenix/Cristal Pesquisas, foi a única empresa que anunciou com antecedência a eleição de cinco mulheres para a Câmara Federal

Elegeram-se para a Câmara Federal, conforme previsto pelo Instituto Phoenix/Cristal Pesquisas,  cinco mulheres. As eleitas foram: Flávia Arruda (PR), 8,43%; Érika Kokay (PT), 6,25%; Bia Kicis (PRP), 6%; Paula Belmonte (PPS), 3,20%, e Celina Leão (PP), 2,20%. Os três homens eleitos para a Câmara Federal foram: Júlio César (PRB), 5,54%; Professor Israel (PV), 4,69%, e Luís Miranda (DEM), 4,53%.
O deputado distrital mais votado foi Martins Machado (PRB), com 1,99%. Vale lembrar que a Câmara Distrital teve uma renovação de 66%.

SURPRESA PARA O SENADO

O Brigadeiro está feliz com a bela votação conseguida com apenas R$ 3.500,00


Uma das maiores surpresas na disputa para o Senado em Brasília foi a votação expressiva do Brigadeiro Átila Maia (PRTB) que obteve 135.573 votos, correspondentes a 5,15% e gastou apenas R$3.500,00, o que equivale a R$0,025 por voto. O referido percentual coloca o Brigadeiro Átila com o menor gasto por voto em Brasília e certamente um dos mais baratos na eleição de todo o país. O candidato do PRTB superou em votos o seu candidato ao governo, o General Paulo Chagas (PRP), que obteve 110.973 votos, e Eliana Pedrosa (PROS), que alcançou 105.579 votos.

Entrevistado pela reportagem do jornal Diário da Manhã, o Brigadeiro Átila Maia deu a fórmula para se fazer uma campanha com recursos reduzidos, quando teceu comentários sobre sua amizade com o capitão Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas para presidente do Brasil, como também a importância que terá o seu colega de partido, do PRTB, o general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente, caso Bolsonaro vença o segundo turno no próximo domingo, 28 de outubro.

O militar reformado, da Aeronáutica, disse que Ibaneis Rocha (MDB) conta com o seu total apoio na disputa para o Palácio do Buriti e acrescentou que, no encontro dos dois, Ibaneis deixou claro que os apoiadores que o acompanharam no primeiro turno e os que chegaram no segundo turno terão o mesmo valor. Veja a íntegra da entrevista.
Perguntamos para o militar reformado de 61 anos, qual foi o milagre feito por ele, quando gastou tão pouco, além de ser mais votado que Eliana Pedrosa, candidata que chegou a ser favorita para ganhar o governo do DF. Ele argumentou: “A nova ordem mundial exige mudanças e tivemos que nos adaptar. Eu fiz a campanha com meu celular, o meu automóvel, muita saliva e sola de sapato. Usei de forma organizada e com determinação as redes sociais: facebook, instagram, twitter e whatsapp. Um dado interessante é que ocorreu uma uniformidade com relação aos meus votos, em todas as zonas eleitorais de Brasília, quando obtive uma média entre 5% e 7% em cada uma delas.

Importante ressaltar que contei com o apoio de duas matérias escritas pelo jornalista Walter Brito e publicadas em seus sites Cristal Pesquisas, São Paulo nas Entrelinhas e Bom dia Goiânia. Além disso, concedi uma entrevista ao jornal Correio Braziliense e fui entrevistado por rádios e TVs comunitárias do Distrito Federal. Não contei com o horário do programa eleitoral de rádio e televisão, como também não tive nenhum cabo eleitoral pago, nenhum adesivo de carro e nenhum comitê.

Durante os 45 dias de campanha oficial, trabalhei duro e participei de reuniões em todo o DF. Nos últimos dez dias da campanha, eu chegava às 6 da manhã na Rodoviária do Plano Piloto e distribuía meus santinhos de mão em mão. Participei também de duas carreatas ao lado do general Paulo Chagas (PRB), o meu candidato a governador. Numa delas, tivemos a participação de nosso presidenciável Jair Bolsonaro. Infelizmente, não tive a oportunidade de  sequer ter um vídeo gravado pelo Bolsonaro, pois ele participou de nossa carreata no dia 5 de setembro e no dia 6 de setembro sofreu o atentado em Juiz de Fora, o que inviabilizou qualquer outro contato com o líder das pesquisas”, disse.

Questionado sobre suas estratégias para conquistar o eleitor, o brigadeiro ensinou: “O eleitor quer, nesta eleição, candidato que nunca tenha sido eleito e que mostre objetividade, um bom currículo e folha de serviços prestados. Neste sentido, minhas mensagens foram curtas e fundamentadas naquilo que as pessoas querem ouvir e almejam para o desenvolvimento pleno de Brasília. Os meus vídeos não passavam de 30 segundos. E mais, não dá para ficar divagando e prometendo o que não se pode cumprir, pois o eleitor quer ouvir a verdade do candidato. 

Acrescento ainda que os 45 dias da campanha foram suficientes para levar minha mensagem com tranquilidade. Entretanto, acho que os partidos precisam ter tratamento igualitário. Não dá, por exemplo, para ter um partido recebendo como fundo eleitoral a quantia de R$ 800 milhões e outro apenas a quantia de R$3 milhões, o que é injusto e faz-se necessária uma reforma política, para cuidar dessa distorção, entre outras. No mesmo sentido, uma legenda não pode ter 430 inserções na TV e no rádio e, no meu caso, não ter uma inserção sequer. 

Estamos vivendo a primeira eleição de um novo ciclo, oportunidade em que um novo paradigma foi quebrado e o dinheiro não será fator preponderante para o sucesso das eleições, como foi no passado. Prova disso é que gastei R$0,025 por voto. Acredito que deve ter sido um dos votos mais baratos da eleição no país. Tenho a convicção de que o trabalho, com afinco e criatividade, e as propostas bem elaboradas e apresentadas pelo candidato é o que vão valer daqui para frente. Estou muito feliz por ter participado desta mudança, que certamente permanecerá nas próximas eleições do Brasil”, arrematou Átila Maia.

Referente à candidatura de Bolsonaro, ele afirmou: “O Jair Bolsonaro é meu amigo e contemporâneo de caserna, embora tenha servido no Exército e eu na Aeronáutica. O nosso presidenciável entrou para a Academia Militar de Agulhas Negras em 1977, e eu entrei na Força Aérea em 1978. A nossa relação se fortaleceu quando ele chegou para exercer o seu primeiro mandato na Câmara dos Deputados. Naquele período eu assessorava a Aeronáutica no Congresso Nacional, onde fiquei por 25 anos.

General Hamilton Mourão, o ex-vice Ministro da Pesca , Brigadeiro Átila Maia e o presidenciável, Jair Bolsonaro
Bolsonaro sempre frequentou a minha casa e eu a dele. Acredito firmemente no seu projeto para mudar o Brasil e certamente ele vencerá as eleições, conforme indicam as pesquisas. Administrar um país não é coisa fácil, especialmente o nosso Brasil de dimensões continentais e suas diversidades. Creio que ele terá algumas dificuldades, entre elas no Congresso e também no Supremo. Contudo, ele conta com uma equipe competente, começando pelo seu vice, o general Mourão, que foi secretário de Finanças do Exército.

Ressalto ainda que Hamilton Mourão conhece orçamento público e domina economia como poucos. Obviamente, que com sua capacidade de gestão e a confiança que ele tem do presidenciável Jair Bolsonaro, sua participação na administração se dará de forma efetiva no governo. Outra figura de destaque é o Paulo Guedes, um dos gestores e economistas mais respeitados no Brasil e no exterior. Por isso, a população brasileira poderá ficar tranquila, que o nosso país estará em boas mãos, com a iminente vitória de Jair Bolsonaro, acredito!

APOIO A IBANEIS ROCHA

O brigadeiro explicou a razão de seu apoio ao candidato Ibaneis Rocha (MDB): “No primeiro turno, o meu candidato foi o general Chagas, e agora eu escolhi o Ibaneis, pois ele é, a meu ver, o que tem melhores condições de tirar Brasília do caos em que  se encontra. O governador Rollemberg teve oportunidade de fazer um bom governo e não conseguiu. Aproveito para lembrar que o Ibaneis foi um excelente gestor na OAB/DF, conseguiu convencer a população do DF de que é o mais preparado para mudar Brasília para melhor, como demonstram todas as pesquisas!

Me coloquei à sua disposição, quando ele disse, em alto e bom som, que todos que estão ao seu lado, tanto os que chegaram no início e no primeiro turno, quanto os que o apoiam agora no segundo turno, todos teremos o mesmo tratamento e o mesmo valor. Ele me passou confiança e vamos vencer juntos com a maioria dos brasilienses. Por isso, peço por meio da reportagem aos  135.573 eleitores que votaram em mim para que votem também no Ibaneis Rocha, o número 15, para governador de Brasília.  Vote também no 17, ou seja, Jair Bolsonaro para presidente do Brasil. Tenho a convicção de que a partir do dia 28 de outubro, vamos virar uma importante página de nossa história”, concluiu o brigadeiro Átila Maia.




Nenhum comentário:

Postar um comentário