quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Marcos Arruda diz que Rollemberg vai superar a crise em três meses!



Apesar de discreta, a posse do novo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, ocorrida no dia 1º de janeiro na Câmara Legislativa do DF, foi muito movimentada e teve a participação efetiva da” Geração Brasília”, ou seja,a presença de pessoas que nasceram no DF ou moram na cidade há mais de 50 anos. O engenheiro Marcos Arruda, na foto com o governador Rollemberg, foi um dos representantes desta geração na posse do pessebista. Marcos Arruda ajudou na consolidação de Brasília como capital da República.

Vale lembrar que ele nasceu na Paraíba, mas mudou-se para o DF em 1962. Estudou engenharia na UnB, onde foi contemporâneo e amigo de Ornestino Guimarães, covardemente assassinado pela ditadura militar. Nos tempos áureos do colégio Elefante Branco, o então jovem estudante de engenharia da UnB, Marcos Arruda, foi professor daquela instituição e por lá fez história lecionando matemática. Por meio de concurso público, ele tornou-se engenheiro da CAESB e também trabalhou no GEIPOT, durante vinte anos. Lá naquela importante instituição do início de Brasília, Arruda foi chefe de projetos, coordenador e superintendente. Tal qual Rodrigo Rollemberg, Marcos Arruda também passou pelo parlamento distrital, quando foi líder do governo Cristovam. Ex-administrador do Plano Piloto, o guerreiro paraibano continua na ativa e, prestando relevantes serviços à população do DF por meio do Instituto do Bem, do qual é presidente.

Entrevistado pela reportagem referente a revolta dos funcionários públicos do DF com a administração do ex-governador Agnelo Queiroz e a crise deixada por ele em todas as áreas, além de um rombo de R$ 3 bilhões; o engenheiro disse o seguinte: “Estou consciente que Rodrigo Rollemberg está enfrentando a pior crise financeira de todos os tempos no governo do Distrito Federal. Entretanto, para governar é preciso que a pessoa tenha competência, honestidade, seja trabalhador e eleja prioridades. Rolemberg tem todas estas virtudes. A principal prioridade na minha opinião, é saber escolher uma boa equipe. Rollemberg se cercou de um time de craques no primeiro escalão do governo, entre os quais tomo a liberdade para citar quatro deles, pois os conheço muito bem: Hélio Doyle, João Batista de Sousa, Júlio Cesar Peres e George Michel. O competente Hélio Doyle foi o mentor da campanha de Rollemberg, é professor de renome na Universidade de Brasília e tem experiência na gestão pública. Conhecedor da estrutura organizacional do governo do DF, Hélio Doyle será peça fundamental para ajudar a tirar o DF da crise. O ex-vice reitor da UnB, o médico proctologista João Batista de Sousa, além de sua competência comprovada, ele tem grande trânsito na área da saúde, o que facilitará avanços numa área do governo que está no fundo do poço. A competência administrativa do ex-presidente do SIMDUSCON, o doutor Júlio Peres, escolhido como secretário de infraestrutura, é o outro ponto positivo no governo que toma posse hoje. Eu não poderia esquecer o nome do jornalista George Michel, presidente do PDT e ex-companheiro de Brizola no exílio. Michel é homem talhado para secretaria do trabalho no Distrito Federal. poucos secretários desta área no Brasil têm história no trabalhismo como George Michel. Portanto, a geração Brasília está no poder pra valer. Acredito que em três meses no máximo, o governador Rollemberg vai tirar da crise, a cidade que hospeda 200 representações de países estrangeiros”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário