sábado, 18 de outubro de 2014

AQUECIMENTO CLIMÁTICO - TODOS SENTEM, MUITOS FALAM E POUCOS AGEM





Por: Marcos Garzon

Em 2004, quando escrevi e registrei na Biblioteca Nacional, o meu livro "Tarde Demais?", apresentei o pior dos problemas da situação do meio ambiente: efeitos potencializados.

É muito fácil acompanhar o círculo vicioso, a constante intensificação e as gravíssimas consequências dos efeitos potencializados da natureza enferma e extremamente agredida pelo homem – ser racional?
Basta acompanhar: mais liberação diária de gás carbônico, mais aquecimento climático, mais desmatamento, mais aquecimento climático, mais queimadas, mais aquecimento climático  e mais degelo,  mais dessalinização das águas marinhas, mais mudanças nas correntes marinhas, mais transformações das temperaturas das águas oceânicas, mais variações na intensidade dos ventos, mais furacões, ciclones e tufões, mais chuvas em alguns lugares e menos chuvas em outros e mais variações climáticas e...
Os efeitos potencializados da natureza são extremamente graves porque são rápidos demais, crescentes, intensos e o homem não os entende a não ser quando é surpreendido pelas reações explosivas da natureza.
O que está acontecendo no Estado de São Paulo, no de Minas Gerais e no de Goiás, dentre outros estados? Será que não merece uma urgente interação de forças e medidas decisivas dos governos federal, estadual e municipal?Além das instituições públicas e privadas, empresas e de todos os cidadãos? Para quê? Replantio de árvores em todos os lugares que pudermos plantar do nosso Brasil.Iniciando, depressa, pelas clareiras abertas e abandonadas pelos garimpeiros na Amazônia, com um conjunto de ações imediatas para suspender novos desmatamentos naquela importante região do Brasil. Por quê? Vai piorar muito mais, se não começarmos a agir agora.

Que o período de mudanças vem se alterando ano após ano para  pior, todo mundo sente, vê e sabe. Que a situação vai piorar poucos compreendem e muitos vão entregando suas orações para São Pedro, que não pode fazer absolutamente nada. Por quê? Muitos já sabem que a situação das regiões Sudeste e  Centro-Oeste é consequência do desmatamento da Amazônia, já que  a transpiração das árvores diminuiu, 25% das florestas foram desmatadas, elevando, portanto, menos água para a atmosfera, e a força dos ventos que vem do Oceano Atlântico, passam por cima da Amazônia, carregam-se de água, vão em direção a Cordilheira dos Andes, mas  não tem força para trazer as nuvens até essas regiões, quando esbarram nas altas montanhas e voltam.

Assim, menos chuva, menos água nos reservatórios, menos água nas nascentes, menos água nas torneiras, menos água nos lençóis freáticos,menos água para o setor agrícola,  menos produtos agrícolas, menos geração de energia elétrica...

E os brasileiros estão esperando o quê? Por que não acordam de uma vez e começam a questionar, criticar, sugerir, plantar árvores, motivar, cobrar das autoridades públicas, unirem as mãos, as idéias? Por que os nossos filhos assistem passivamente e não agem pelas redes sociais? Ah! Estão esperando faltar água para o costumeiro banho.

 O meio ambiente é um problema pior do que a segurança pública, do que a caótica situação do sistema médico/hospitalar, do que o terrível sistema de transportes públicos no Brasil... Todos sentem, muitos falam e poucos agem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário